Horticultura para Todos

Autora
Ana Duarte Rodrigues
Edição e Ano
Lisboa: Biblioteca Nacional de Portugal, 2017
Nº de páginas 276 pp.
ISBN 978-972-565-601-1  

Descrição

Apesar de atualmente pouco se ouvir falar de horticultura, possivelmente por ter sido incorporada na agronomia, e o grande público a relacionar sobretudo com o cultivo de vegetais, esta foi, na segunda metade do século XIX, um sofisticado ramo do saber, indicador do nível civilizacional da nação.

No contexto do Portugal liberal, o desenvolvimento da horticultura passou a ser estandarte do progresso e personalidades inusitadas possibilitaram a aproximação ao grande público desta ciência aplicada. O que era uma arte das elites do Antigo Regime passou então a ser conhecimento de horticultores que ambicionavam equiparar-se a botânicos, de amadores que viam no cuidar das plantas um modo de elevação moral e social, e das classes urbanas que, não tendo quintas, queriam aproximar-se da natureza e trazê-la para dentro dos seus andares citadinos.

Revistas de horticultura, a par de idas a jardins públicos e visitas a exposições de horticultura, contribuíram de forma eficaz para disseminar o interesse pela horticultura. Duas personalidades ímpares lideraram este movimento: José Marques Loureiro, no Porto, e Francisco Simões Margiochi, em Lisboa. Horticultura para Todos aborda estes dois vultos, os seus círculos, a sua rede de contactos internacionais, as suas atividades e, sobretudo, as publicações que tinham como objetivo divulgar a ciência da horticultura junto do grande público. 

Apresentação

A primeira apresentação da obra foi feita no Porto, dia 9 de março de 2017 (pelas 18h00), na Biblioteca Almeida Garrett. A 3 de maio (18h30) a obra é apresentada em Lisboa, no Auditório da Biblioteca Nacional de Portugal. As duas sessões são conduzidas por Ana Simões, autora do prefácio.