A Geologia, esse lugar estranho: reflexões em torno da história de uma disciplina (Teresa Salomé Mota)

Lisboa, 16 de Novembro, 13h
Na FCT-UNL, Edifício VII, Sala de Seminários do DCSA.
Comunicação proferida no âmbito do ciclo de Conferências CIUHCT.



Duria Antiquior

Sinopse

Nesta conferência, serão apresentadas algumas considerações e reflexões gerais relativamente à história das ciências, feitas a partir de situações de investigação concretas com que a oradora se deparou ao longo dos anos. Destaca-se, em particular, a discussão de questões relativas a) à produção de cartografia geológica e ao conceito de ‘objectos de fronteira’ (‘boundary objects’); b) ao trabalho de campo em geologia e ao conceito de ‘conhecimento tácito’ (‘tacit knowledge’), salientando-se ainda a ‘invisibilidade’ de certos actores na prática geológica; c) ao ensino da geologia e, em particular, a aspectos da cultura visual desta ciência.

Sobre o orador

Teresa Salomé Mota licenciou-se em Geologia e fez o mestrado em Ciências do Ambiente. Em 2007, completou o doutoramento em História e Filosofia da Ciência e é, ainda, investigadora de pós-doutoramento do CIUHCT. Desenvolveu a maior parte da sua actividade de investigação na área da história da geologia em Portugal, abrangendo temas que vão da constituição da comunidade geológica à institucionalização da disciplina, passando pelas questões relativas ao trabalho de campo, à produção de cartografia geológica e à utilização de modelos analógicos. Outro dos seus interesses de investigação diz respeito à história do ensino das ciências, tendo concluído há pouco um estudo dedicado às imagens geológicas existentes nos manuais do ensino liceal português.

Poster de divulgação