Quando os insetos são os sujeitos da História (Ana Isabel Queiroz)

Lisboa, 18 de Janeiro de 2018, 18h
Na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, sala 8.02.02.
Comunicação proferida no âmbito do ciclo de Conferências CIUHCT.

Sinopse

A História do Ambiente (Environmental History) debruça-se sobre o passado das sociedades humanas, e tem nelas o seu objeto de estudo. Neste campo académico interdisciplinar são analisadas as suas relações com variáveis naturais e antropogénicas, locais, regionais e globais, que compreendem toda o universo ambiental. Estudam-se as formações socioecológicas numa perspetiva histórica. É nesse quadro que ela se distingue da História Ecológica (Historical Ecology), com a qual partilha uma abordagem cronológica, mas à qual interessa sobretudo a evolução das populações de espécies não-humanas e dos ecossistemas.

Num projeto que se detém sobre a história contemporânea das pragas agrícolas no Sul da Europa, alguns insetos foram identificados como sujeitos de surtos e episódios de invasão, com impactos económicos, ecológicos e no bem-estar das populações. Alguns desses fenómenos foram induzidos por ações humanas (e.g transferência de organismos, alterações do uso do solo combinados com condições climáticas) e geraram respostas culturais, científicas e políticas.

Os estudos desenvolvem-se em torno de emblemáticas espécies invasoras, conhecidas pelo seu impacto no passado, entre eles a lapa das laranjeiras, a formiga Argentina, a filoxera e os gafanhotos. Integram-se fontes diversas numa análise espácio-temporal, com recurso a ferramentas digitais e constrói-se uma narrativa história para diversas geografias e períodos de tempo. Apresentam-se agora alguns resultados e convida-se a audiência a contribuir com criticas e sugestões.

Sobre o orador

Ana Isabel Queiroz (IHC/FCSH-NOVA) é doutorada em Arquitetura Paisagista (FCUP), mestre em Etologia (ISPA, Lisboa) e licenciada em Biologia (FCUL). Desde 2009, é investigadora contratada na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas através de programas financiados pela Fundação para a Ciência e Tecnologia: Investigador Ciência (2009-2013) e Investigador FCT (2013-2019). Nos últimos anos, publicou vários livros, capítulos de livros e artigos científicos em revistas nacionais e internacionais sobre temas de Humanidades Ambientais e Humanidades Digitais. 

Poster de divulgação